No quadro interno de uma empresa, os processos de comunicação são freqüentemente usados ​​em uma direção pelos departamentos de recursos humanos. É por isso que devemos usar ferramentas e técnicas para que a organização possa posicionar e ativar uma idéia diferente dentro de seus funcionários.

De acordo com Carlos Fernández de Collado, autor e escritor de vários livros sobre o tema de comunicação organizacional / interna, existem 4 grandes necessidades de colaboradores em torno da comunicação que é gerada em um ambiente interno dentro de sua empresa.

 

A necessidade de informação (saber o que acontece no dia-a-dia, com o processo operacional e as decisões)

A necessidade de identidade (conhecer os valores e objetivos da empresa e se sentir alinhada com eles)

A necessidade de integridade (identificar a posição de “um” em torno da empresa, com seus processos e tarefas)

A necessidade da imagem (formular uma percepção sobre a marca ou a empresa e se sentir satisfeito com ela).

 

Desta forma, existem algumas maneiras simples, mas eficazes, de usar o e-mail como uma ferramenta de comunicação e marketing interno:

 

Como um feedback das notícias mais importantes: para responder às necessidades de informação, você pode emitir uma breve declaração com o mais importante do dia ou da semana.

Como ativador de sentimentos e emoções: para responder às necessidades de identidade, você pode estruturar um e-mail com uma história interessante ou inspiradora da empresa (narrativa) que eleva a “sensação” de seus colaboradores.

Como lembrete dos documentos e links importantes: para responder às necessidades de integridade, um e-mail informativo servirá para manter a mão e manter importantes fluxos de trabalho, documentos ou processos importantes da empresa.

Como motor de opinião: para responder às necessidades da imagem, uma campanha interativa por e-mail pode ajudá-lo a coletar opiniões gerais, usando o correio como um nó para uma pesquisa on-line.

 

Assim, podemos usar o e-mail como uma boa ferramenta além do uso tradicional, e o que é melhor, é que pouco a pouco a marca da empresa pode ser posicionada entre os funcionários como uma entidade aberta à comunicação.

 

Paula Cruz
Intern Before Communication